Resultados para “Usuario: Lusitanoi"

Este buscador realiza búsquedas sobre el texto íntegro de los Artículos, Poblamientos, Imágenes y Archivo de conocimientos, así como sobre los comentarios a los Artículos y Poblamientos.

Buscador Global

Tipo de búsqueda
No literal (todas las palabras en cualquier orden) · Sólo en el título

Buscar en:
Biblioteca · Poblamientos · Archivo de Conocimientos · Imágenes · Comentarios

Si no marcas ningún área, buscará en todas (excepto en comentarios).


Comentarios

Tijera Pulsa este icono si opinas que la información está fuera de lugar, no tiene rigor o es de nulo interés.
Tu único clic no la borarrá, pero contribuirá a que la sabiduría del grupo pueda funcionar correctamente.


  1. #1 Lusitanoi 14 de jun. 2005

    Biblioteca: A Rapa das Bestas

    Galiza em portugal es el nombre con que los gallegos que viven aqui denominam "Galicia", sera que los gallegos que viven en portugal y son muchos son todos nacionalistas? buena pergunta. perdonem o portuñol

  2. #2 Lusitanoi 12 de feb. 2006

    Biblioteca: Fronteiras e Identidades

    Hola, vou escribir en "portunho" = "portugues + castellano" para que ne entendan mejor gueton5, pienso que estas un poco equivocado con la lengua e cultura portuguesas, you soy portugues, pero pienso que no veo las cousas con el sentido independentista, pero con sentido historico. Lo que pasa és que portugal se ha construido de norte para sul. Con la reconquista todo el actual territorio quedou despoblado con excepcion de "algarve", la ponta sul. despues de la reconquista grandes numeros de pobladores principalmente gallegos de la orilla norte o sul del miño, no importa, poblaran todo el centro y sul de portugal. Las consequencias desta poblacion fueran que la lengua y la cultura se ha producido mui homogenea e de cariz gallego. No hay otras lenguas o dialectos en todo el territorio, con excepcion del mirandés (de raiz leonesa) en tras-os-montes (miranda do douro) Si algo de lusitano quedou, no sera muy identificable hoy en dia, hay diferencias entre el norte y el sul és verdad, pero tanpoco so igualables a las diferencias entre castilla-leon y andalucia, se puede decir que el sul es una galiza arabizada, hasta el folclore, si lo quieres comparar hay una continuidad/evolucion desde el norte hasta el sul. A comprobar todo esto, es que qualquier portugues entiende mucho bien la lengua gallega de hoy, pero se identifican muchos castellanismos, pero esso hasta los gallegos lo identifican. Muchas veces veo la tvgalicia e te puedo assegurar que me gusta la forma como ellos hablan y como tratan de las cosas del dia a dia, porque se siente muchas semellanças entre galiza e portugal. A finalizar, lo que passou fue que la lengua y la cultura gallega a hecho un trajecto del norte para el sul y en este trajecto fue cambiando y evolucionando, pero no el suficiente para que no nos entedamos perfectamente quando hablamos en nuestras lenguas (que para mi la lengua es la misma, pero con algunos cambiantes). Com respecto a la cultura solo gallegos y portugueses entiendem el sentido de la palabra "saudade"/"morriña" que tanto nos caracteriza a uns y a otros. Hoy en dia en la historia oficial de portugal se ha hecho verdad sobre nuestras origenes lusitanas que las ha inventado la historiografia del salazarismo con objectivos bien claros. Los lusitanos son nuestros antepassados, como los galleci y nadie ha probado hasta ahora que ha havido una continuidad entre lusitania y portugal, ademas los limites de lusitania no solo no coinciden con los actuales de portugal ni tanpoco se situan todo en el territorio nacional. Assi, en el passado hemos sido una solo nacion, que nadie duvide de esto, que por raziones historicas se han separado e evoluido de formas distintas, pero mucho de comun existe aun entre galegos e portugueses y si tienes duvidas de esto te convido a hacer unas vacaciones que puedes empezar na corunha y puedes continuar por la costa hasta el algarve y me dirás si tengo o no tengo razon, ok? Muitas felicitaçoes a todos

  3. #3 Lusitanoi 13 de feb. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    Hola Sou portugues e ja nao é a primeira vez que vejo esta dicotomia galiza/portugal neste "site". Em primeiro lugar devo dizer que no me encanta la union de portugal y galiza, si esso tenia algun sentido habia sido hace 8 siglos no ahora. Quanto a los portugueses en geral pienso que todolos piensan como yo, es un tema que ni si habla por aqui, las cosas estan bien como estan. Somos pueblos hermanos hemos salido del mismo tronco, pertenecemos a la misma familia atlantica y ocidental, compartimos grande parte de nustra cultura e hablamos una lingua muy similar, porque si el portugues ha evolucionado, tambien es verdad que se ha quedado mucho del galego-portugues inicial. Como todos lo han dicho e comprobado el galego actual tiene muchos castellanismos que se identifican facilmente y mejor aun para un portugues indentificar-los. tambien pienso que es dificil si no impossible cambiar el actual gallego para los tiempos iniciales y decierto que seria dificil para los galegos hablar lo. Pero para un portugues que le esto que vosotros escriben me quedo con la sensacion que hay una voluntad enorme de apagar todolos "portuguesismos" del galego, como se isso fuera possible. ehehheh Si me da ganas de rir, porque si lo veis assi, el gallego esta lleno de portuguesismos, afinal hemos tenido la misma lengua, no? es natural que assi sea o no? si pudieramos regressar 4 siglos atras o menos y escuchar gallegos y portugueses hablando decierto que no haberia ningunas diferencias entre los dos, porque entonces esses miedos de quedar igual al portugues? porque? Somos un pais pobrecito, que mal se puede gobernar a si proprio, no teneis esses miedos. Por otro lado es estranho que los gallegos estejan permanentemente a negar y a esconder sus semejanças con el portugues. Si un pueblo no consigue identificar sus verdaderas raizes jamas se conocerá totalmente y jamas podrá evoluvionar, no? A mi me pareçe que hay um complexo mui grande en la actual sociedad gallega de cortar e anular todalas semellanças com portugal lo que es contrário al verdadero sentido de la origen de los dos pueblos. Um poco como se pasa con Portugal en relacion a Espanha. Nosotros preferimos anular y esconder todalas semellanças que tenemos con los españoles como se fueramos mui distintos de ellos. Como se dice en portugal " De espanha, nem bom vento nem bom casamento", que decierto compreenderan. Quanto al termino "galiza" por todo el norte de portugal region que ha sido la vieja gallecia, ninguen dice Galicia, todolos sin excepcion le dicen Galiza, lo que ha pensar que teria sido el nombre original, lo que no quiere decir necessariamente que se deberia cambiar el nombre actual, esso es uns question que debe ser resolvida por los gallegos. Mui bien, esta es mi opinion que no es buena ni mala, simplemente mi opinion y podeis acreditar que no tengo qualquiera intencion de union entre galiza y portugal. perdonen mi malo castellano y por aqui se apreden todas las lenguas europeas, frances, ingles, aleman, etc, pero por nuestro viejo complexo el castellano es la unica que no se aprende en las escuelas, por que será? ehehhehheh saludos

  4. #4 Lusitanoi 13 de feb. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    Hola Sou portugues e ja nao é a primeira vez que vejo esta dicotomia galiza/portugal neste "site". Em primeiro lugar devo dizer que no me encanta la union de portugal y galiza, si esso tenia algun sentido habia sido hace 8 siglos no ahora. Quanto a los portugueses en geral pienso que todolos piensan como yo, es un tema que ni si habla por aqui, las cosas estan bien como estan. Somos pueblos hermanos hemos salido del mismo tronco, pertenecemos a la misma familia atlantica y ocidental, compartimos grande parte de nustra cultura e hablamos una lingua muy similar, porque si el portugues ha evolucionado, tambien es verdad que se ha quedado mucho del galego-portugues inicial. Como todos lo han dicho e comprobado el galego actual tiene muchos castellanismos que se identifican facilmente y mejor aun para un portugues indentificar-los. tambien pienso que es dificil si no impossible cambiar el actual gallego para los tiempos iniciales y decierto que seria dificil para los galegos hablar lo. Pero para un portugues que le esto que vosotros escriben me quedo con la sensacion que hay una voluntad enorme de apagar todolos "portuguesismos" del galego, como se isso fuera possible. ehehheh Si me da ganas de rir, porque si lo veis assi, el gallego esta lleno de portuguesismos, afinal hemos tenido la misma lengua, no? es natural que assi sea o no? si pudieramos regressar 4 siglos atras o menos y escuchar gallegos y portugueses hablando decierto que no haberia ningunas diferencias entre los dos, porque entonces esses miedos de quedar igual al portugues? porque? Somos un pais pobrecito, que mal se puede gobernar a si proprio, no teneis esses miedos. Por otro lado es estranho que los gallegos estejan permanentemente a negar y a esconder sus semejanças con el portugues. Si un pueblo no consigue identificar sus verdaderas raizes jamas se conocerá totalmente y jamas podrá evoluvionar, no? A mi me pareçe que hay um complexo mui grande en la actual sociedad gallega de cortar e anular todalas semellanças com portugal lo que es contrário al verdadero sentido de la origen de los dos pueblos. Um poco como se pasa con Portugal en relacion a Espanha. Nosotros preferimos anular y esconder todalas semellanças que tenemos con los españoles como se fueramos mui distintos de ellos. Como se dice en portugal " De espanha, nem bom vento nem bom casamento", que decierto compreenderan. Quanto al termino "galiza" por todo el norte de portugal region que ha sido la vieja gallecia, ninguen dice Galicia, todolos sin excepcion le dicen Galiza, lo que ha pensar que teria sido el nombre original, lo que no quiere decir necessariamente que se deberia cambiar el nombre actual, esso es uns question que debe ser resolvida por los gallegos. Mui bien, esta es mi opinion que no es buena ni mala, simplemente mi opinion y podeis acreditar que no tengo qualquiera intencion de union entre galiza y portugal. perdonen mi malo castellano y por aqui se apreden todas las lenguas europeas, frances, ingles, aleman, etc, pero por nuestro viejo complexo el castellano es la unica que no se aprende en las escuelas, por que será? ehehhehheh saludos

  5. #5 Lusitanoi 13 de feb. 2006

    Biblioteca: Poema en Aljamía

    Interessante, o que se parece com portugues esta aljamia "seu","seus", "máis", "olyos"=olhos,"mult"=muito, "sentí", "meu", "gosto", "beixo", "nomme","dúbita", "nobre","respeito", "sempre", "mín". Que bela sonoridade tem esta lingua, ainda que me pareça demasiado italiana. Uma coisa é certa, é mais facil de entender para um portugues do que o castelhano, estranho..... será que é mesmo real? ou será uma farsa de alguem que se quere divertir a custa de uma mescla de castelhano, portugues e italiano? Mas que da gosto de ler, é uma verdade.

  6. #6 Lusitanoi 14 de feb. 2006

    Biblioteca: Gallaecia Meridionalis + Lusitania Septentrionalis

    Ola Amigo Reuveannabaraecus Pelo que escreves penso que sejas um respeitavel Oliventino descendente de portugueses. Concordo contigo a 100% no que respeita à vontade popular e também à analogia que fazes com gibraltar no que respeita ao anti-espanholismo. Penso tambem que hoje em dia a questao de Olivença ja nao se poe, apenas um grupo muito minoritario da população ainda se bate por esta questao ja esquecida sem qualquer relevo. No entanto nao posso deixar de nao concordar com a questao geografica, o que nao falta por esse mundo fora sao naçoes (verdadeiras naçoes e patrias) cujos limites territoriais nao correspondem a acidentes geográficos naturais e muitas vezes em enclaves dentro de outras naçoes, isso nao pode nunca ser motivo de legitimidade para invadir este ou aquele territorio e veja se o que se passa no territorio da ex-uniao sovietivca(Russia) com todos aqueles problemas de diversos enclaves nacionalistas. E apesar de hoje em dia a questao de Olivença ser ja irrelevante, no tempo em que a sempre mal-fadada espanha invadiu aquele territorio foi sem qualquer legitimidade e essa do enclave territorial nao pode nunca ser motivo legitimo para tal acto. E se es Oliventino descendente de Portugueses decerto saberas o que sofreram os portugueses que ficaram no territorio durante os primeiros anos de ocupação, sim que isso nao é fantasia, foi a realidade, ainda que hoje voces prefiram espanha como pátria, ainda bem que conseguiram a vossa integraçao e hoje vivam felizes. A ser assim entao, nao existe nenhuma razao para que Portugal, exista, pois o territorio portugues nao é mais que um enclave no territorio espanhol, ainda por cima com o mar como limite, ou nao será? Por isso amigo, a questao do enclave territorial nunca e jamais pode ser considerada legitima para invasão de um país ou parte de um país soberano. Por acaso quando os espanhoes invadiram Olivença, alguem pergountou ao povo se achava bem? Nao brinquemos com coisas serias, ok? Um abraço para a extremadura, região que mucho me gusta por sus semellanças com Portugal

  7. #7 Lusitanoi 14 de feb. 2006

    Biblioteca: Gallaecia Meridionalis + Lusitania Septentrionalis

    Ola Amigo Reuveannabaraecus Pelo que escreves penso que sejas um respeitavel Oliventino descendente de portugueses. Concordo contigo a 100% no que respeita à vontade popular e também à analogia que fazes com gibraltar no que respeita ao anti-espanholismo. Penso tambem que hoje em dia a questao de Olivença ja nao se poe, apenas um grupo muito minoritario da população ainda se bate por esta questao ja esquecida sem qualquer relevo. No entanto nao posso deixar de nao concordar com a questao geografica, o que nao falta por esse mundo fora sao naçoes (verdadeiras naçoes e patrias) cujos limites territoriais nao correspondem a acidentes geográficos naturais e muitas vezes em enclaves dentro de outras naçoes, isso nao pode nunca ser motivo de legitimidade para invadir este ou aquele territorio e veja se o que se passa no territorio da ex-uniao sovietivca(Russia) com todos aqueles problemas de diversos enclaves nacionalistas. E apesar de hoje em dia a questao de Olivença ser ja irrelevante, no tempo em que a sempre mal-fadada espanha invadiu aquele territorio foi sem qualquer legitimidade e essa do enclave territorial nao pode nunca ser motivo legitimo para tal acto. E se es Oliventino descendente de Portugueses decerto saberas o que sofreram os portugueses que ficaram no territorio durante os primeiros anos de ocupação, sim que isso nao é fantasia, foi a realidade, ainda que hoje voces prefiram espanha como pátria, ainda bem que conseguiram a vossa integraçao e hoje vivam felizes. A ser assim entao, nao existe nenhuma razao para que Portugal, exista, pois o territorio portugues nao é mais que um enclave no territorio espanhol, ainda por cima com o mar como limite, ou nao será? Por isso amigo, a questao do enclave territorial nunca e jamais pode ser considerada legitima para invasão de um país ou parte de um país soberano. Por acaso quando os espanhoes invadiram Olivença, alguem pergountou ao povo se achava bem? Nao brinquemos com coisas serias, ok? Um abraço para a extremadura, região que mucho me gusta por sus semellanças com Portugal

  8. #8 Lusitanoi 14 de feb. 2006

    Biblioteca: DEL ROMANCE A LA LENGUA UNIVERSAL

    interesante esta ideia que a peninsula em vez de uma afinal sao duas, ejehehehhehehh 1º nunca houve um so romance na peninsula, a evoluçao do latim, originou nao 1, mas vários romances e es cierto que en el ocidente de la peninsula ja se hablava un romance distinto. 2º El portugues debe descender directamente del egipcio no? como siempre la espanha ignora este rectangulo atlantico que da de nombre portugal e la lengua portuguesa que al final es tambien la 5ª lengua hablada en el mundo. 3º es curioso como se ignora portugal e el portugues nun articulo que trata de las lenguas romances, curioso mismo..... sin palabras

  9. #9 Lusitanoi 28 de feb. 2006

    Biblioteca: ESPAÑA AUTONÓMICA = ESPAÑA FEDERAL

    Façam lá a Federação, pode ser que depois seja possivel a entrada de Portugal para a vuestra FEDERACION IBERICA, quem sabe? assim em vez de se demembrar, aumentava de tamanho. thanks

  10. #10 Lusitanoi 03 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    talvez reir no?

  11. #11 Lusitanoi 05 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    É verdade amigo, pelos vistos conheci o primeiro espanhol que tentou falar portugues, haja Deus! os meus parabens por isso. É verdade também que nao precisamos de aprender a hablar para comunicar com os castelhanos, tal é a semelhança entre as linguas. Mas também nao é mentira que tal como existe o velho complexo portugal/espanha, aquele velho complexo de amor-ódio que nos faz parecer muito diferentes dos espanhois, também existe o complexo contrario espanha/portugal, que faz com que os espanhois se sintam num patamar muito mais elevado e que por vezes nos inferiorizem a tal ponto de nao fazer qualquer esforço para nos entender. Ha uns anos passava ferias (vacaciones) em almuñecar e procurava uma "farmacia" que ao que sei é igual em castelhano e uma pessoa na rua disse me que nao me entendia e voltou-me as costas, ou seja quando viu que eu era portugues, simplesmente disse-me que nao me entendia e nem reparou que a palavra era a mesma, enfim, coisas da ibéria. Mas apesar disso ha alguma justificação fonetica para isso, o problema é que o portugues ao contrário do castelhano e até do galego tem as vogais fechadas, é uma das principais razoes porque apesar das linguas serem semelhantes os espanhois nao nos entendam, é que ao fecharmos as vogais as palavras ficam com uma sonoridade diferente e mais baixa pelo que se torna dificil para os outros povos latinos entenderem-nos, repara que isto ate se passa com os brasileiros que falam um portugues com vogais abertas e por isso tambem tem alguma dificuldade em entender portugues de portugal. Num plano diferente tambem acontece isso com o portugues que se fala nas ilhas da madeira e açores que ainda fecha mais as vogais que nos continentais, pelo que por vezes se torna muito dificil para os portugueses continentais entenderem na perfeição o portugues das ilhas porque eles fecham tantos as vogais que as vezes apenas se entendem as consoantes, ou seja para exemplo Castelhano - ciudad portugues (continente) - cidade portugues (açores) - cdade Este facto das vogais fechadas assim como alguma fonetica anasalada explicam em parte a dificuldade dos espanhois em entender nos mas os velho complexos de um lado e do outro da fronteira ajudam em muito a que essa dificuldade aumente em grandeza. Obrigado pelo teu comentario e deixemo nos de complexos e começemos a entender nos que so trará beneficios para ambos os povos.

  12. #12 Lusitanoi 05 de mar. 2006

    Biblioteca: -------------------------------

    Ainé, é verdade que aqui se pronuncia da mesma forma, LL e LH é a mesma coisa, eu sou da zona de lisboa e nao vejo diferença na pronunciação entre um minhoto e um algarvio, dizem os dois exactamente a mesma coisa, caralho e pelo que tenho ouvida na TVGaliza, pronuncia-se tal qual da mesma forma. A diferença situa-se na abertura das vogais, na galiza abrem-se mais as vogais cárálhu enquanto no sul fecham-se as vogais ou seja a fonética das consoantes é a mesma, mas como nos falamos com as vogais mais fechadas, o som da palavra inteira resulta diferente, mas ainda assim a consoante pronuncia-se da mesma forma, tal como ñ e nh.

  13. #13 Lusitanoi 06 de mar. 2006

    Biblioteca: Colon: los documentos legales

    Para aumentar a riqueza do debate, venho vos referir um recente livro editado em Portugal, escrito por um Português, documentado, que refere que Cristovao Colombo era um espião português ao serviço de D. João II de Portugal. trata-se de uma tesis já em discussão na academia portuguesa de historia e tem alguma logica. http://cuba.no.sapo.pt/paginas/cuba-informa/cristovao-colom.htm

  14. #14 Lusitanoi 07 de mar. 2006

    Biblioteca: -------------------------------

    ehehheheheheh, me haces rir Ainé! Como buena galega por supuesto! É verdade, tens razao, os portugueses do sul mastigam as palavras como pastilha elastica, mas é isso que te dizia antes, o que se passa é que quanto mais ao sul mais se fecham as vogais e quanto mais ao norte mais se abrem, e isso nota se muito bem na palavra caralho, se for um do norte ou galego diz cárálhu, se for um lisboeta carálho, quase como cerálhe e é por isso que os galegos tem mais dificuldade em entender os do sul, ja me tinha dito o mesmo das 2 vezes que estive em galiza. Além disso ha os ditongos, leite=laite, coelho=coailho e por ai adiante, o que afasta a lingua da sua origem galega. Sabes que em portugal, apesar da maioria das pessoas achar o galego muito parecido com o portugues, quase ninguem sabe que a lingua original foi o galego, e o portugues apenas é uma evolução da vossa lingua? é verdade poucos sabem disso, também é uma assunto que raramente se debate publicamente, coisas do salarismo ainda latentes actualmente, tal como o velho odio aos espanhois, mas fica descansada pois trata-se mais de um amor-ódio do que de um ódio a serio, lololololol gostei do ultimo poema

  15. #15 Lusitanoi 09 de mar. 2006

    Biblioteca: -------------------------------

    Quanto as pessoas que nao sabem, é a tua experiencia, nao sei que tipo de pessoas conheces mas presumo que sejam mais do norte, eu refiro-me ao portugues médio do centro e sul e muitas vezes com conhecimentos reduzidos da historia peninsular que infelizmente sao ainda muitos. Sim, tens razao, ok eu corrigo, "... e o portugues é a evolução do galego que se falava na idade medieval" e acrescento: ...mas que nem por isso deixava de ser galego, ehehhehe Olha, eu nao sou partidario da união da galiza e portugal, mas vejo a galiza como uma nação muito proxima a nossa, apenas isso e por isso mesmo acho que deviamos aprofundar o relacionamento porque alem de termos muito em comum, podemos sempre trocar muitos ensinamentos bons para ambas as partes, mas que fique bem claro que nao tenho quaisquer ideias de união tal como as vezes vejo por aqui neste forum, ok? Abraço

  16. #16 Lusitanoi 09 de mar. 2006

    Biblioteca: --------------------

    IV. 1. Ad Conimbricensem Conimbriga: 2 Eminio Parece me que talvez seja a actual Coimbra, capital de distrito o seu nome romano era Aeminium

  17. #17 Lusitanoi 09 de mar. 2006

    Poblamientos: BRETOÑA; Sede del Obispado de Britonia

    que es el Dialecto Mindoniense? donde puedo ver exemplos escritos?

  18. #18 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    Pecado é aquilo que tu propria escreveste, afinal entendes ou nao entendes perfeitamente aquilo que eu escrevi em puro portugues? era apenas aí que eu queria chegar... se nos vos entendemos, também vos nos entendem, apenas que tem que se esforçar um bocadinho isto no caso dos castellanos, porque os galegos entendem-nos na perfeição tal qual como nos a eles.

  19. #19 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    El portugues hablado tiene essa dificultad para quase todos los hablantes de lenguas latinas.

  20. #20 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    sim e concordo contigo saudo

  21. #21 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    Ola, eu nao quero estar a meter me numa discussão que é e deve ser apenas dos galegos eles proprios, mas é verdade aquilo que diz Breor donn. O Portugues do Brasil é muito mas muito diferente (distinto) do português de Portugal, é a forma de falar e escrever, as frases que se aplicam, as palavras que se aplicam para as mesmas coisas, tal como comboio/trem, entre um nunca mais acabar de situações, ha tambem as palavras que se escrevem de maneira diferente, tudo isso esta previsto no acordo ortografico entre os dois paises, incluso as coisas proprias de cada uma das variantes tudo corre sobre rodas. Quanto à fonetica é assim, talvez haja mais diferenças entre a fonetica brasileira e a portuguesa do que entre a portuguesa e a galega, eles abrem as vogais todas enquanto nos a fechamos. Quanto a mim o problema da actual ortografia do galego é que reduz a vossa lingua aos galego-hablantes, pois que os castelhanos nao a querem ler e para os portugueses é muitas vezes dificil de entender quando escrito, pois a redacção da lingua fica tao diferente que as vezes tenho de estar a ler devagarinho e a trautear mentalmente para entender o que esta escrito. Se o galego fosse escrito pela norma ortografica portuguesa, seria possivel a todo mundo lusofono compreende-la mais facilmente e teria um mercado literario muito maior, mesmo com as vossas diferenças proprias que as ha e muitas, nao duvido disso. As vezes vejo a TVG e mesmo com aqueles castellanismos todos que os locutores usam, fica muito facil entender o que dizem, mas quando é escrito a coisa fica muito pior para vos entender. Mas o que queria realmente realçar era que o medo dos galegos de a lingua galega se diluir no portugues é um medo infundado, a meu ver jamais aconteceria porque isso nao acontece no Brasil nunca aconteceu nem tampouco nos novos paises de lingua portuguesa que estao agora a criar as suas proprias normas, tais como Angola, Moçambique, guiné, cabo-verde, etc.. Em minha opiniao o unico risco de isso acontecer é pela televisao, em portugal a lingua é cada vez mais uniforme de norte e sul por influencia da TV portuguesa que sem querer acaba por ditar a norma para todos os espectadores. Duvido que os galegos começem agora a ver apenas a TV portuguesa e abandonem as televisoes espanhola e galega nao acham? E depois para quem serve um galego com ortografia castellana, acham que o resto dos espanhois vai algum dia ler galego?

  22. #22 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    de que nobelo falas Ainé? vais ver que e um conspiração... ehehhehehhe

  23. #23 Lusitanoi 13 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    la isso é verdade no estan buenas no! quanto a realidade da raia, nao sei a que te referes, as coisas estao mal em todo o pais nao so na raia.

  24. #24 Lusitanoi 14 de mar. 2006

    Biblioteca: Galicia/Galiza

    desde 2001/2002 que as coisas estao cada vez piores por cá, pelo menos economicamente, o que nao é felicidade nenhuma e como sabes a emigração é um fenomeno muito proprio dos portugueses quando as coisas estao mal por cá. Em fases más como a actual cada um tenta sobreviver, dai que nao me admiro disso.

  25. #25 Lusitanoi 15 de mar. 2006

    Biblioteca: Breve acercamiento a la producción de hierro en la antigüedad

    Ainé, en la region de Lisboa hay diversos palacios com chaminés identicas a essa, eram normalmente as das grandes cozinhas dos palacios portugueses. Palacio de Sintra: http://fotos.sapo.pt/hibero/pic/00014gxs/ http://www.ippar.pt/monumentos/palacio_sintra.html http://www.malhatlantica.pt/sintrantiga/chamine.htm "Depois da reconquista, o Paço perde algum do seu brilho e será já quase no fim dos tempos medievais que se vai tornar o edifício modelador do carácter da vila, sobretudo após a subida ao trono do Mestre de Avis, monarca que vai promover a execução de importantes obras. Lembremos que ainda antes de usar a coroa, em plena crise de 1383/85, o futuro D. João I se serviria do Paço para atrair nobres à sua causa, como aconteceu com D. Henrique Manuel, conde de Seia, a quem o Mestre doou o palácio em 1385. No ano seguinte, contudo, e com a questão da sucessão já resolvida, o palácio volta para a posse da coroa, dando-se então início a um importante conjunto de obras. Datam dessa época, por exemplo, as características chaminés cónicas, (clicar para ver foto) que coroam a grande cozinha monacal e que constituem o mais conhecido e retratado "ex-libris" da vila de Sintra. Pelo que se depreende dos desenhos de Duarte D'Armas, no seu "Livro das Fortalezas", as chaminés seriam originalmente revestidas de azulejos, o que acentuaria ainda mais a sua imagem imponente. Para este conjunto de obras D. João I terá contratado um importante artista mudejar da época, o mestre Garcia de Toledo, que imprimiu ao Paço medieval o seu carácter gótico-islâmico." Aqui conheço mais exemplos mas nao encontrei fotos

  26. #26 Lusitanoi 16 de mar. 2006

    Biblioteca: Breve acercamiento a la producción de hierro en la antigüedad

    Quando vieres a Lisboa, da um saltinho a Sintra e visita o "palacio da Vila", vais ver as chaminés e também a cozinha, mas dentro da cozinha embora seja muito grande nao se nota a dimensao das chaminés. sempre ao dispor

  27. #27 Lusitanoi 16 de mar. 2006

    Biblioteca: Ecos de Sefarad

    Que racistas xenofobos que sois! En Portugal se convertieron muchos incluso los que han venido de aí y estamos cá todos en este jardin a la beira-mar, ehehehhehehe sinagoga de tomar: http://tomar.com.sapo.pt/sinagoga.html

  28. #28 Lusitanoi 17 de mar. 2006

    Biblioteca: Ecos de Sefarad

    me refería a Ego

  29. #29 Lusitanoi 17 de mar. 2006

    Biblioteca: Ecos de Sefarad

    A los judios les aconteció por aqui lo que aconteció aí solo que algunos años despues, con la diferencia que aqui no morrieron tantos en las hogueras, solo esso. Muchos saliran a Holanda, Turquia, Italia e etc otros se convertieron y otros obviamente acabaron en las hogueras del santo oficio (Inquisicion). Pero pienso que se convertieron mas judios en portugal do que en espanha.

  30. #30 Lusitanoi 19 de mar. 2006

    Biblioteca: Ni los muertos hablan ya gallego

    Sou Portugues e posso-vos jurar pela alma dos meus antepassados que esse texto nao esta escrito em portugues, é bastante mais inteligivel do que o galego castelhanizado, mas não é portugues, deinitivamente.

  31. #31 Lusitanoi 19 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Concordo e dou te os meus parabens pelo belo texto que aqui trazes amigo Bandeirante, de vez em quando também lhes faz falta ter o prazer de levar com uma lufada da brisa atlântica lusofona. No entanto queria chamar a atenção que o estado nação de Portugal apenas se pode considerar assim depois de 1385, pois não existe evidência suficiente que antes dessa data houvesse consciencia da unidade nacional, tal como hoje a conhecemos. Apenas depois da batalha de Aljubarrota, com a eminência da perca da independência os portugueses ganharam a consciencia nacional que conhecemos hoje. Afinal e ironico ou não o maior ponto de união nacional foi desde sempre a vontade de independencia face a Espanha, mas so depois de 1385, com D. João I, mestre de Avis, essa consciencia de nação se formou em pleno. Quanto ao perído " negro" de 1580-1640, ha a salientar que no período do reinado de Filipe I de Portugal (Filipe II de Espanha), as condições foram boas para os portugueses e esse por isso esse monarca obteve o respeito do país, o que já nao aconteceu com os seguintes reis espanhois. O motivo deste 1º sucesso de Filipe I, talvez se prenda com o facto da sua mãe ser portuguesa e por isso mesmo ele tenha entendido e por isso respeitado o nosso caracter próprio. O que é uma coisa que "em geral" é muito dificil para os Espanhois, talvez daí a eterna imcompreensao mutua. Abraço Lusitanoi

  32. #32 Lusitanoi 19 de mar. 2006

    Biblioteca: El Galego en el Val do Ellas

    Apoiado! Haja alguem que meta os galegos no seu lugar e lhe diga as verdades que eles nao gostam de ouvir.

  33. #33 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Amerginh, todos conhecemos exemplos que contrariam essas definições 1. 2. e 3., existem muitos estados com mais que uma naçao( Belgica com a Valonia e a Flandes), ou uma naçao repartida por varios estados (Kurdistao, repartido por Iraque, Turquia, Irao,etc) ou até mesmo nações sem estado como seriam os judeus antes da criação do estado de israel, exemplos nao faltam, isto para ja nao falar de Espanha, será que o pais basco nao é uma nação? e a Catalunha? Quanto a Galiza nao penso que tenha suficiente identidade nacional. Nem sempre a naçao coincide com o estado ou o territorio desse estado, independentemente daquilo que é a nossa opiniao particular, doa a quem doer. Cumprimentos

  34. #34 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Buena pergunta Brigantinus! Pienso que la teras que hacer a los galegos y a Galiza en el colectivo. A ver, si comparas el Pais Vasco y Catalunha con Galiza, verás deprissa las distintas formas que tienen essas naciones de se opor a los castellanos de siempre. Em portugues expresso-me melhor. Eu penso que não têm suficiente identidade nacional porque historicamente têm sido sempre brandos (fracos, sem ofensa) perante o poder castelhano. Em termos de exemplos, ve o que os próprios galegos fizeram a sua propria lingua, encheram-na de castellanismos de tal forma que hoje o galego que se fala (nao o das normas) correntemente pela populaçao é mais castrapo que galego, nao? Um povo com forte identidade nacional, jamais renuncia a sua lingua, os exemplos do pais basco e da catalunha são os opostos do galego, além de se contaminarem muito menos de castellanismos, foram sempre cultivados pela populaçao enquanto que o galego ja quase nao se fala, nao é verdade? Eu que vejo o problema de fora acho que embora os galegos tenham muita afeiçao pela sua cultura propria ao mesmo tempo sentem um profunda atracçao pela cultura da meseta, nao sei de por real afeição sou se por falta de força para lutar contra ela. Enquanto os bascos e os catalães nutrem um profundo desprezo pela cultura castellana, acham-nos mais brutos, mais broncos, mais atrazados, mais fechados (e são de facto) em favor da sua propria cultura, ves isto todos os dias, e talvez ate mais na catalunha onde se sente o desprezo pelos castellanos. Esse sentimento é muito identico ao nosso (portugues) também sentimos esse desprezo, embora hoje em dia as coisas estejam mais atenuadas com a adesao ao UE. Como podes constatar tu melhor que eu, nao vejo os galegos com esse sentimento face a cultura castelhana, o que se nota é uma submissao ao poder central muito diferente de bascos, catalaes e portugueses. Aliás, o exemplo catalao conheço-o melhor porque pessoalmente conheço mais catalaes que galegos e quando nos encontramos, acabamos sempre a falar portugueses e catalaes do comum desprezo que sentimos pelos castellanos. Pelo que disse, concluo que a galiza tem um cultura própria bastante vincada face a Castela (meseta) e isso nota-se a cada passo, é inegável. Mas amigo brigantinus, sentimento e identidade nacional, até pode ser que alguns galegos a sintam, mas a maioria penso que nao sente e isso vê-se a cada passo até aqui no que se escreve diariamente neste forum. Com isto nao quero dizer que os galegos deviam ser mais violentos na oposiçao ao poder central, repara que a identidade nacional não se mede pela violência das acções, enquanto o Pais Basco actua violentamente e os resultados ate nem são assim tão bons, ve o que fazem os Catalaes que sem oposição violenta acabam por ser muito mais eficazes que os Bascos. Olha so o estatuto, a bronca que causou e a grande foda que deram nos castellanos. E claro que para nós, portugueses, é sempre um prazer ver a Espanha levar no cú! Abraço

  35. #35 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: Los distintos nombres del "niño"

    Bem, aqui vai a contribuição portuguesa - bebé - menino, menina - criança - crianço - criancinha - cachopo, cachopa - cachopada - pequeno, pequena - pequenada - filho, filha - filhinho, filhinha - filharada - canalha - moço, moça - moçoilo, moçoila - rapaz, rapariga - rapagão - rapazola - rapaziada - chavalo, chavala - terroristas (humor) y no me acuerdo de más

  36. #36 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Pobres, também somos nós, ultimamente até a galiza ja tem um desenvolvimento em muitas areas superior ao nosso, talvez a auto-estima de que falas seja a palavra chave para esse problema, sente-se muita falta de auto-estima nas vossas intervençoes aqui e isso é fundamental. Mas repara, se fizeres um inquerito na galiza, pais Basco e na catalunha sobre a vontade de autodeterminaçãom, sobre a auto-estima da vossa maneira de ser própria achas que as respostas irao ser iguais nas 3 regioes? Penso que nesse caso a Galiza perderia bastante terreno face aos outros dois nao? Ha ainda uma questao que vejo muitas vezes por aqui também respeitante aos galegos que é a dicotomia que os galegos apresentam sempre entre espanha e portugal, porque sentem que ao tentar diferençiar se dos castellanos acabam por ficar iguais aos portugueses, entao para tentar nao ir na onda portuguesa, acabam por ficar mais igualitos aos castellanos. Eu entendo perfeitamente a vossa forma de pensar, mas assim acabam por nunca se encontrar a vos próprios nao? porque se se auto-negam o caracter proprio que é muito semelhante ao portugues, por razoes historicas e culturais obvias qual sera o vosso futuro em termos de identidade? so pode ser a castelhanizaçao total ou nao? Eu nao gosto muito de discutir este assunto aqui porque vem logo aqueles galegos pro-castellano com a mania que toda e qualquer semelhança com portugal é mera coincidencia, mas ja que veio a talhe de foice... Abraço

  37. #37 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: Los distintos nombres del "niño"

    é verdade que por aqui se utiliza muito a palavra terroristas mas sempre num caracter humoristico-depreciativo, principalmente para com as crianças mais rebeldes que nunca estao quietas e estao sempre fazer e provocar danos, entendes? normalmente aplica-se: " - ai aqueles terroristas que andam a partir tudo la fora"

  38. #38 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Para Amerginh: Esse é o eterno destino galego, já assim foi à 850 anos e assim continuará, algum dia a Galiza se ha-de encontrar a ela própria. Para elpater: Estava aqui a pensar se te deveria responder ou nao, mas como ha esmolas para os pobres de facto, também as ha para os pobres de espirito, por isso amigo também tens direito a resposta. Ora vamos lá, quem mais que ninguém utilizou desde sempre e continua a utilizar o desprezo para impor a homogeneização senão a Castilla arrogante que toda a peninsula conhece? quem? es capaz de me responder? voces passaram a vida a despreciar os galegos, a despreciar os portugueses, os andaluzes e tudo o que vos seja distinto, e se nao o fazem dos catalaes é porque sabem que eles sao mais fortes do que voces ou nao será. Desprezo é o que os castellanos mais utilizam para despreciar os outros povos da peninsula, por isso nao me fales de desprezo que os mestres nessa materia sempre foram os castellanos. E além disso como escreveu Amerginh estavamos a falar de auto-estima, so mesmo a vossa arrogancia propria poderia ver logo outras coisas. É que o que define bem os castellanos desde sempre é nao so o deprezo que fazem sentir aos outros mas também a vossa já característica arrogância. De tudo o que falei nao defini o sentido nacional como o desprezo pelos outros povos, nos os portugueses temos sentido nacional e nao sentimos desprezo pelos catalaes ou pelos galegos, apenas o sentimos pelos castelhanos por duas razoes: 1º porque eles sao de facto mais burros, mais parvos e mais atrazados culturalmente que os povos do litoral que sempre tiveram mais contactos com outras culturas e outras formas de ser 2º porque a arrogância dos castellanos apenas pode ser vencida pelo desprezo. e punto. E mais... que será da grandiosa Hespanha sem a catalunha e o pais basco? um deserto à deriva na meseta nao? ehehehhe ainda havemos de ver a verdadeira castilha tal como ela é, atrazada pobre de facto e de espirito.

  39. #39 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    estas engañado Elpater, aqui somos muchos, somos todo un pais a despreciar Castilla, ehehheheheh quanto al punto, és que no me gusta gastar es cerebro con gente obstinada.

  40. #40 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Amerginh, que bonito el poema, pero triste....

  41. #41 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Essa tristesa é muito parecida com a portuguesa, Tristesa - destino - fado - esperança Afinal somos povos irmaos, nao é verdade?

  42. #42 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: Los distintos nombres del "niño"

    É verdade, esquecia-me dos putos e do puto, nao faço a minima ideia de onde provém esta palavra, mas ao meu filho mais velho trato-o por "puto" e quando me refiro a ele para com alguem, digo "o meu puto grande". É claro que o mesmo termo nao se pode usar para a minha filha, por motivos obvios, ehehehehhe

  43. #43 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Eyna, es mas o menos esso que dice Amerginh, utilizo el termino Castilla porque si utilizo Espanha, refiro-me a todos espanhois e nao penso que todos os espanhois sao como os tradicionalistas castellanos. Em portugal, Castela é sinonimo de espanha e vice-versa, claro que de uma forma simbolica. castilla (castela em portugues) é sinonimo da espanha mais tradicionalista, arrogante e soberba tal como ja foi aqui referido. Mas se perguntares ao mais comum dos portugueses, eles referem-se sempre a espanha, raramente a castela ou castilha, tal como os catalaes, espanha sempre foi o nosso inimigo tradicional, é o destino, eehehehhe ou o nosso fado... De qualquer forma eu nao odeio espanha, ate gosto muito de espanha, vou muitas vezes de vacaciones para o vosso país, apenas nao gosto da arrogancia e altivez de alguns espanhois quando se referem a portugal, ok? E me gusta principalmente aquellos mapas (cartas territoriales) de España que en lugar de Portugal, apresentan la mar, me gustan espectacularmente, no me digas que nunca lo has visto.

  44. #44 Lusitanoi 25 de mar. 2006

    Biblioteca: Los distintos nombres del "niño"

    ja me esquecia de outros muito utilizados - garoto, garota, garotinho, garotice, garotagem - miudo, miuda, miudinho, miudagem - do Lat. minutu, dimunuído - gaiato, gaiata - rapazinho, rapazito, rapazinho

  45. #45 Lusitanoi 26 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Elpater, estas esqueciendo que "Portugal is not Spain", no? para nosotros esso es passado, somos un país con mas de 850 años de idependencia, apenas con 60 años de unio a Espanha, tal como dice el texto de Bandeirante. Para nosotros la question no es la misma de catalunya, euskera ou galiza, porque la independencia ja la hemos ganado hace 850 años e despues en la restauracion en 1640, vale? No estoy hablando de nacionalismo, porque yo vivo en un pais independiente. Para mi y para todolos portugueses se trata de la forma depreciativa que utilizan una grande parte de los españioles castellanos o nó. el aire de superioridad con que nos tratam, el complexo interminable siempre omitindo el pais vecino, como se el no existira, porque para vosotros la existencia de portugal es un error historico, no es assi? habla lo que te vai en la alma, hombre, para que veamos todos o que ustedes piensan de portugal y de los portugueses, es esso. Queremos vuestro respecto si no, no los vamos a respectar, vale? Gracias Eyna, te entiendo perfectamente pero nuestra posicion es distinta porque ja no somos espanha, certo? abraço

  46. #46 Lusitanoi 26 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    Sr Elpater, perdona-me voy escribir en portugues que es mas comodo para mi. Eu nao vejo os galegos lutando e impondo-se ao poder central espanhol como os bascos e os catalaes, tu ves? relativamente ao desprezo pelos outros povos, repara, os bascos e catalaes têm orgulho da sua identidade propria e é dai que resulta o desprezo pelos castellanos e daí também eles nao se considerarem espanhois tal como nos os portugueses. Agora pergunta a maioria dos galegos se eles se sentem espanhois ou nao, que te responde a maioria? penso que a maioria dos galegos se sente espanhois, logo que hão-de fazer com a identidade nacional? se se sentem espanhoies tal como tenho visto escrito aqui em diversos artigos deste forum, resulta necessariamente uma identidade nacional fraca, certo? Se um povo se considera como parte integrante de um estado, nao vejo que possa coexistir uma identidade nacional capaz de conduzir a independencia ou estou errado? Em conclusao, eu penso que os galegos têm uma identidade propria bastante diferenciada da oficial espanhola, mas nao um identidade nacional de tal forma que pensem em autodeterminação, concordas? Que fique bem entendido que eu nao concordo com as barbaridades e formas de luta dos bascos, em particular a ETA, certo? mas tens o exemplo da catalunha, que com outros metodos e formas tem feito o que tem a Espanha. Saludos

  47. #47 Lusitanoi 26 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    no tengo palabras más, Amerginh ! Has dicho todo! És verdad que el orgullo português es lo que és, gracias a la prepotencia espanhola, es verdad esso que as dicho, nuestro sentimiento nacional esta siempre al de cima porque espanha es lo que es, es assí, no tiene discussion. En portugal también hay diferencias de norte a sul, pero se perguntas en qualquer lugar de norte o de sul se quiere ser espanhol, la respuesta es unica e solo una, NO! Aunque assi sejamos mas pobres mas pequeños, menos desarrolados, etc., esse es el precio de la independencia... Pero no te olvides que por distintas veces espanha intentó poner-nos el yugo, en el siglo XII luego al nascimiento, por distinta veces hasta aljubarrota, luego en 1580 con Filipe II, solo desde Olivença, nos ha quedado en paz y la respuesta ha sido siempre la misma, es el nuestro caracter.... acaso no fueran los lusitanos los mas dificiles de conquistar? En 1580, la union de los dos reinos, no ha sido una verdadera anexacion, quedo claro que teriamos nuestra lingua e nuestras intituiciones, Filipe II sabia lo que hacia, conocia nuestro caracter y ha sido lo unico que hasta hoy ha tenido el aprecio de los portugueses. Como seria distinto se Portugal o Galiza, tanto se me dá, fuera toda la costa atlantica, pero esso es sueño.....

  48. #48 Lusitanoi 27 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    No se que tiene que ver con el tema, pero si te sirve de respuesta, los lisboetas van a Badajoz que es mas cerca. En portugal no hay nacionalismos Ainé, por más que los quieras buscar. Lo que passa en le norte de portugal mas cerda de Porto és tenia y tiene mucha "industria textil", no se mo dirlo en espanhol. Esta Industria se no lo sabes funcionava en portugal gracias a la mano de obra barata, bajos salarios. Actualmente existen los productos chineses que han acabado con grande parte de esta industria, porque tienen precios mui concorrenciales y la consequencia es que todolos dias se ferman empresas de este ramo, principalmente en minho y cercanias de Porto. Las consequencias han sido tales que ayer la region de Porto era mas rica y industrial que la de Lisboa y hoy se quedou al contrario. Esta crise ha tenido consequencias a nivel de operarios y practicamente todalas profissiones, incluso contables y auditores como yo. Mis "colegas" de profession de la region norte estan atravessando una grave crise por tudo esso, se no quedan empresas, no hay trabajo para nadie. Pero la culpa es que essas empresas no se han desarrolado ni tanpoco aprovechado los subdidios de la UE para modernizar-se y han continuado con la politica de bajos salarios y ningun inventimento, entendes? La situacion de la region norte todo la gente la conoce, basta ver los telejornales de la television portuguesa, vale? No seas separatista, amiga, ehehehhehehe Ahora dime, que tiene que ver el tema con la situacion portuguesa actual? En francia la situacion no es mejor, pienso que ate bastante mas grave que aqui, por acaso los franceses quieren ser espanholes por isso? Parece que estas querendo dizer alguma coisa nas entrelinhas, clarea o discurso e bota tudo ca pra fora, vá!

  49. #49 Lusitanoi 27 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    A parte la crisis de la industria textil, estamos tendo a maior crise en la construcion. pero nos cuspas en el aire que te puede caer en cima, vale? O modelo economico portugues era e continua a ser infelizmente muito parecido ao espanhol e ai como aqui o motor economico é a construçao civil, a excepçao da catalunha e pais basco. O que aconteceu é que ja se construiram mais casas aqui do que sao precisas, e a construçao entrou no caos, no hay trabajo, ni encomiendas, ni nada. E é so esperares uns aninhos (nao muitos) e vais ver o que acontece a espanha.... a crise que esta cá, vem a caminho de espanha ou achas que ha milagres? nao fales muito pois o modelo espanhol e o mesmo e ha-de chegar a sua hora como chegou a de portugal, certo?

  50. #50 Lusitanoi 27 de mar. 2006

    Biblioteca: O que é um Estado Nacional ?

    joder Elpater

  51. Hay 221 comentarios.
    1 2 3 ...5 página siguiente

Volver arriba